NOVA DIRETIVA ENERGÉTICA ErP

 

Inteligência Verde é o novo grau de eficiência

A Vulcano, ao longo dos anos, tem-se posicionado um passo à frente em competência e desenvolvimento tecnológico, explorando e inovando em soluções cada vez mais inteligentes e eficientes ao nível energético.

A partir de 26 de setembro de 2015, entra em vigor a nova Diretiva Energética (ErP-EuP), para todos os equipamentos relacionados com energia (equipamentos produtores de calor, caldeiras, painéis solares e depósitos de Água Quente Sanitária).

O foco na eficiência energética irá descontinuar gradualmente alguns produtos do mercado e as soluções que tomarão o seu lugar são hoje produtos com uma proposta de retorno bastante compensatória, dados os níveis de poupança energética e de consumo que se poderão obter.

Esta nova Diretiva apresentará novas exigências para estes equipamentos, refletindo uma intenção de melhoria da eficiência energética a nível global, e irá definir os requisitos mínimos, ao nível de matéria de eficiência energética, de emissões NOx e de níveis sonoro.

É assim chegado o momento de afirmar solidamente a nossa Inteligência Verde – garantia de eficiência energética e confiança para os nossos parceiros e consumidores – reforçando o nosso compromisso de Apoio Total e assumindo um novo Compromisso Verde.

Folheto Nova Diretiva Energética ErP (PDF 1,31 MB)

 

Vídeo ErP

 

FAQ's

 

Em que consiste a nova Diretiva Energética?

A partir de 26 de setembro de 2015, entra em vigor uma nova Diretiva Energética (ErP-EuP) que irá definir os requisitos mínimos, em matéria de eficiência energética, emissões Nox e nível sonoro para todos os equipamentos relacionados com energia.

 

O que quer dizer ErP-EuP?

Os produtos relacionados com energia (ErP) são produtos que usam energia, ou que não usam energia, mas têm um impacto, mais ou menos direto, sobre o consumo de energia. Se anteriormente a normativa só se aplicava a produtos que dependiam da entrada direta de energia (EuP), agora todos os produtos relacionados com energia (ErP) estão sujeitos a requisitos de eficiência energética.

 

Estão sempre a sair novas diretivas relacionadas com a energia. Porquê?

As exigências ambientais são um fator influenciador na legislação e certificação da União Europeia. A nova Diretiva Energética ErP-EuP é já consequência de uma primeira tentativa de combate às alterações climatéricas e redução das emissões de CO2 a nível global, iniciada em 1997, na Conferência de Quioto.

O compromisso selado apontava o período de 2008-2012 como meta, mas na Cimeira do Clima em 2012, no Qatar, o prazo foi prorrogado até 2020, com os chamados objetivos 20-20-20.

 

O que se pretende com os objetivos 20-20-20?

Tendo consciência da importância e influência do seu papel na implementação de medidas ambientais, a Comissão Europeia apresentou um pacote abrangente de medidas até 2020, traçando objetivos alcançáveis para reduzir as emissões de CO2, promover energias renováveis e incentivar a poupança energética, ou seja:

redução de 20% nas emissões de dióxido de carbono CO2;

o acréscimo de 20% na utilização de energias renováveis sobre o consumo total de energia;

• e o incremento de 20% na eficiência energética. A maior parte das normas que dizem respeito ao mercado de A.Q.S. e aquecimento estão relacionadas com a eficiência energética.

 

E como é que se vai conseguir aplicar tudo isto na prática?

A União Europeia e o governo português (Decreto-Lei 118/2013 de 20 de agosto) têm vindo a criar legislação neste sentido. A ErP-EuP que é a base de todos os regulamentos anteriores, agrupou os produtos em categorias (LOTs) e para cada uma destas tem vindo a criar regulamentos independentes. A ErP-EuP é ainda dividida por: Ecodesign e Ecolabelling.

 

O que é a Diretiva de Ecodesign (ErP)?

As normas de EcoDesign (ErP) devem ser cumpridas pelos fabricantes. estabelecendo novos padrões de exigência na conceção, importação e fabrico dos equipamentos, para estarem habilitados a receber a certificação CE, e numa fase subsequente, de comercialização, fixa obrigações a retalhistas e instaladores. Esta normativa europeia obrigatória nos 28 estados membros da Área de Influência Económica da União Europeia, define:

• Os níveis mínimos de eficiência;

• As emissões máximas de NOx;

• O nível de ruído para bombas de calor e bombas de calor de A.Q.S., caldeiras e equipamentos de cogeração.

• O nível máximo de perdas térmicas nos depósitos de A.Q.S.

 

O que diz respeito à Diretiva do Ecolabelling (ELD)?

No sentido de proteger os consumidores, a União Europeia aprovou também uma normativa sobre a Ecolabelling (ELD) ou Etiquetagem, para que todos os produtos abrangidos estejam devidamente etiquetados, com informação sobre a eficiência energética dos mesmos. Assim a Etiquetagem introduz a obrigatoriedade da existência de uma etiqueta de eficiência energética em todos os produtos com potência até 70 kW e depósitos até 500 litros.

Pode-se assim, afirmar que trata-se de uma etiqueta idêntica às já utilizadas em grande parte dos eletrodomésticos atualmente à venda.

Esta diretiva entra em vigor a 26 de setembro de 2015 em todos os países da União Europeia

 

O que são LOTs?

LOTs são categorias de produtos criadas pela União Europeia. Pode-se indicar os seguintes LOTs:

LOT 1: Caldeiras e Sistemas de Aquecimento (gás, gasóleo e elétricos)

LOT 2: Esquentadores, Termoacumuladores elétricos, Bombas de calor de água quente, Depósitos, Sistemas solares (Painéis solares e termossifão)

LOT 10: Ar Condicionado

LOT 11: Bombas de recirculação, motores elétricos

LOT 15: Estufas e Caldeiras de Combustíveis sólidos

LOT 20: Aquecedores individuais

 

Mas vão acontecer já mudanças?

Não.

Embora a publicação oficial da Diretiva de ErP-EuP tenha sido feita em setembro 2013, foi considerado um período transitório de adaptação e a entrada em vigor, será efetuada gradualmente, de acordo com os requisitos e com as categorias de produtos.

Para tentar simplificar, criou-se um calendário de implementação para cada uma das categorias (LOT) de produtos. O LOT 1 composto por caldeiras e sistemas de aquecimento e o LOT 2 composto por produtos de A.Q.S. e depósitos de acumulação.

Calendário LOT 1 (caldeiras e sistemas de aquecimento)

09/2013

ErP: publicação e entrada em vigor

ELD: publicação e entrada em vigor

09/2014

ErP: período transitório

ELD: período transitório

26/09/2015

ErP: Obrigatoriedade do cumprimento do primeiro escalão de requerimentos de eficiência e nível sonoro (só para Bombas de Calor)

ELD: Etiquetagem obrigatória até A++ dos produtos e respetiva comunicação da classificação nos suportes de comunicação

26/09/2017

ErP: Obrigação do 2º escalão dos requisitos de nível sonoro (apenas para as Bombas de Calor) e eficiência.

26/09/2018

ErP: Obrigatoriedade do cumprimento do requerimento de NOx de 56 mg/kWH para caldeiras de gás (só aquecimento ou mistas)

26/09/2019

ELD: Etiquetagem obrigatória até A+++ dos produtos

Calendário LOT 2 (produtos de A.Q.S. e depósitos de acumulação)

09/2013

ErP: publicação e entrada em vigor

ELD: publicação e entrada em vigor

09/2014

ErP: período transitório

ELD: período transitório

26/09/2015

ErP: Obrigatoriedade do cumprimento do primeiro escalão de requerimentos de eficiência e nível sonoro (só para Bombas de Calor)

ELD: Etiquetagem obrigatória até A dos produtos e respetiva comunicação da classificação nos suportes de comunicação

26/09/2017

ErP: Obrigatoriedade do cumprimento do segundo escalão de requerimentos de eficiência

ELD: Etiquetagem obrigatória até A+ dos produtos e até A+++ dos packs

26/09/2018

ErP: Obrigatoriedade do cumprimento do terceiro escalão de mínima eficiência (só para perfis de consumo de XXL-4XL) e dos requerimentos de NOx de 56 mg/kWH para esquentadores.

 

Porque se fala tanto disto agora?

A partir de setembro de 2015, entram em vigor duas Diretivas que estabelecem novos requisitos mínimos para os aparelhos produtores de calor e depósitos.

 

Porquê a nova Etiqueta?

A etiquetagem energética, entra também em vigor em 26 de setembro de 2015, é essencial para que os consumidores possam fazer escolhas mais inteligentes/ eficientes. Para que isso seja possível, é importante que possam comparar a eficiência energética dos equipamentos segundo critérios uniformes.

 

Qual a diferença entre etiqueta de Produto e etiqueta de Sistema ou existe um único tipo de etiqueta?

Não.

Para os produtos existe uma etiqueta de produto e é exclusiva a cada equipamento e uma ficha de produto. Os produtos terão de ser acompanhados pela respetiva ficha de produto, onde irão especificadas informações sobre o mesmo. Esta ficha passará a constar em todos os Manuais de Instalação.

A etiqueta de sistema é gerada através de parâmetros que o fabricante deverá fornecer para classificar os diferentes componentes do sistema. Os produtos terão de ser acompanhados pela respetiva ficha de sistemas que vai fornecer as informações necessárias ao cálculo de classificação dos packs.

 

Como funciona a etiqueta de Produto e a etiqueta de Sistema?

A etiqueta de produto será obrigatória em exposições, centros de formação e lugares públicos. À imagem do que se passa com a folha de dados técnicos, a Etiqueta Energética estará integrada no produto. A Classe de Eficiência passará a constar nos Catálogos, Tabelas de Preços, Internet, etc.

A etiqueta de sistema será obrigatória em sistemas instalados. O fabricante deverá fornecer uma etiqueta de sistema no caso de sistemas integrados ou deverá fornecer os parâmetros para a classificação dos diferentes componentes do sistema e será o retalhista ou instalador quem deverá preencher os dados da etiqueta, bem como imprimir a mesma.

 

As etiquetas de produto são iguais para todos os produtos?

Não.

Há etiquetas diferentes conforme o equipamento. Sistemas com caldeiras e outros equipamentos com potência até 70 kW e depósitos com capacidade até 500 l terão necessariamente de ser identificados com a sua respetiva etiqueta de eficiência energética (ELD). Existem 10 etiquetas para produtos:

• Caldeiras só de Aquecimento

• Cogeração

• Bombas de Calor de Aquecimento

• Bombas de Calor de Baixa Temperatura

• Água Quente e Aquecimento

• Bomba de Calor Ar/água (aerotérmica)

• Esquentadores e Termoacumuladores

• Aquecedores de águas Solares (painéis solares e termossifão)

• Bombas de Calor A.Q.S.

• Depósitos.

 

As etiquetas de Sistemas são iguais para todos os sistemas?

Não.

Há etiquetas diferentes conforme o equipamento. Existem 3 etiquetas para sistemas:

• Sistema de Aquecimento

• Sistema de Água Quente e Aquecimento

• Sistema de Água Quente e Componentes Solares

Quando os packs são propostos pela marca, e constituídos por produtos da respetiva marca, a responsabilidade da classificação energética cabe ao fabricante, dado que o pacote já se encontra identificado com a etiqueta de sistema.

Em caso de packs criados e propostos pelos parceiros comerciais, constituídos por produtos da mesma marca ou de marcas diferentes, cabe aos parceiros comerciais a responsabilidade da classificação energética do pack.

 

Que informação entra em cada uma das etiquetas?

Nas etiquetas surgirá, dependendo do produto e sistema, os seguintes pontos informativos:

• Fabricante/marca

• Perfil de consumo

• Classe de eficiência e classe de eficiência estacional de aquecimento

• Consumo de energia anual

• Nível sonoro interior e/ou exterior

• Controladores e regulação

• Ano de introdução da etiqueta e número da norma

• Identificadores de produtos

• Potência integrada e/ou Útil

• entre outros.

 

Este tipo de classificação energética é para sempre?

Não.

A partir de 2019 terá lugar uma reclassificação da classe energética, por motivos fáceis de entender.

Com as alterações e medidas tomadas, a partir dessa data deixará de ser possível vender produtos com classificação energética de E-G. Esta classificação deixará de existir.

Por outro lado, as diversas medidas tomadas permitem ter como resultado produtos cada vez mais eficientes energeticamente, pelo que será introduzida a classificação A+++.

Tanta uma alteração como a outra serão aplicações na classificação energética de aparelhos de aquecimento, caldeiras e bombas de calor mistas.

 

Como posso obter mais esclarecimentos?

Esta é uma meta que a Vulcano partilha, com produtos cada vez mais inteligentes e eficientes, que não só cumprem com a nova Diretiva como propõem ainda melhores níveis de eficiência, promovendo a inovação e contribuindo para um futuro sustentável e um ambiente cada vez mais verde.

Nesta fase de transição e implementação que se aproxima, a Vulcano já está a reforçar o seu compromisso de Apoio Total. Através de um conjunto de ferramentas e serviços, vamos percorrer consigo este novo caminho, assegurando-nos que terá sempre toda a informação e acompanhamento de que necessitar.

Poderá ainda contactar-nos através do e-mail: info.vulcano@pt.bosch.com