AQUECIMENTO CENTRAL E A.Q.S.

   
Próxima página 
Voltar 
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Seleção do aparelho mais adequado à sua situação

Gostaria de possuir um sistema de aquecimento central, que lhe aquecesse a água para usos domésticos e simultaneamente lhe permitisse beneficiar do aumento da temperatura ambiente da sua habitação?

A Vulcano tem à sua disposição uma vasta gama de soluções para o fornecimento de água quente para consumo doméstico e aquecimento central.

Encontre aqui a sua solução Vulcano!

 

A Vulcano tem à sua disposição uma vasta gama de soluções para o fornecimento de água quente sanitária e aquecimento central.

As caldeiras da Vulcano são ideais para proporcionar o aquecimento central da sua habitação, bem como o aquecimento das águas sanitárias quer seja de forma instantânea ou por acumulação.

 

Aquecimento central

Em casa, um sistema de aquecimento central possibilita um aumento da temperatura ambiente sem retirar as principais qualidades do ar que respiramos.

É silencioso e permite que todo o espaço da casa seja aquecido, não se restringindo apenas a uma divisão. É, portanto, uma solução completa.

Para que um sistema de aquecimento central funcione é necessário uma caldeira , mural ou de chão, que aqueça a água.

Esta água quente percorre toda a rede de tubagem até chegar aos diversos elementos emissores de calor - radiadores e toalheiros - que compõem o sistema.

A circulação de água quente nos radiadores permite, então, o aumento da temperatura ambiente, de uma forma homogénea e natural.

O funcionamento de um sistema de aquecimento central pode ser controlado e otimizado através dos indispensáveis sistemas de controlo, programadores e termóstatos, para que seja o mais eficiente possível. Aos utilizadores garante-se todo o conforto, com o controlo dos gastos de energia.

Os sistemas de aquecimento central podem ser de baixa temperatura (temperatura média do fluido térmico cerca de 35º C a 40º C) ou sistemas convencionais (temperatura média do fluido térmico cerca de 70ºC).


A escolha do regime de temperatura é dependente dos elementos emissores de calor para aquecimento do espaço:

• Sistemas convencionais: radiadores e toalheiros

• Sistema de baixa temperatura: piso radiante, ventilo convetores

 

Produção de A.Q.S.

Água Quente Sanitária (A.Q.S.) são as águas de consumo doméstico que se pretendam a uma temperatura superior à que é fornecida pela rede de abastecimento público, podendo ser produzidas ou por um esquentador ou por uma caldeira ou um sistema constituído por uma caldeira acoplada a um acumulador.

No caso de aquecimento de águas instantâneas: a água fria entra diretamente na caldeira onde é aquecida de uma forma instantânea à medida que vai circulando pelo permutador de calor do aparelho. Desta forma, garante-se um fornecimento de (A.Q.S.) sem tempos de espera.

No caso de aquecimento de águas por acumulação: a água fria da rede de distribuição pública entra no acumulador onde é aquecida através do seu permutador e serpentina. No interior da serpentina, circula água que é aquecida em circuito fechado pela caldeira. Desta forma garante-se o fornecimento simultâneo de A.Q.S. em vários pontos de tiragem (torneiras), dependendo da capacidade do acumulador e da potência da caldeira.

 

Aquecimento Central e A.Q.S.

Uma boa instalação de aquecimento central começa por um diagnóstico preciso do projeto ou obra existente, a fim de propor uma solução técnica que corresponda plenamente às necessidades da habitação.

A determinação de carga térmica (Aquecimento e A.Q.S.) a fornecer é um passo fundamental na selecção do equipamento adequado. Este Aconselhamento deverá ser obtido através de um estudo térmico rigoroso efetuado por um gabinete de projeto especializado.

Em habitações existentes, na ausência de informação detalhada quanto às necessidades térmicas da habitação, deverão ser respeitadas as potências e condições de funcionamento dos diversos elementos emissores de calor que compõem o sistema, tais como: radiadores e toalheiros, piso radiante ou ventilo-convetores.

Destacamos os principais factores a ter em consideração na determinação das necessidades da sua habitação para o aquecimento central:

Localização: a variabilidade do clima nos diferentes concelhos do país influência, entre outros parâmetros, as temperaturas médias do ar exterior na estação que aquecimento, as quais por sua vez influenciam de forma muito significativa nas perdas de calor da habitação

Tipo de habitação: Habitar num prédio, quando comparado com uma moradia, tipicamente resulta tipicamente que a nossa habitação está em contacto com outras que poderão estar também a ser aquecidas, isto é, reduzem-se de forma significativa as possibilidades de perda de calor e consequentemente as necessidades de potência do equipamento.

Área de pavimento e tipologia: a área útil da habitação que se pretende aquecer, é o principal indicador utilizado para inferir de forma aproximada as necessidades de aquecimento, pela relação direta que apresenta com as superfícies por onde a habitação poderá perder calor (paredes, janelas, tetos, pavimento).

A tipologia da habitação é importante por permitir estimar o número de utilizadores habituais, entre outros parâmetros, tendo como principal influencia os consumos de AQS.

Ano de construção e tecnologias de construção: outro parâmetro de grande influência na avaliação das necessidades térmicas da habitação é o tipo de construção e materiais utilizados. Ao longo dos anos as tecnologias e matérias tem evoluído e melhorado de forma determinante a qualidade da envolvente e a eficiência energéticas das habitações.

As diferenças entre o tipo de parede (dupla, simples, com isolamento e/ou caixa de ar, caixilharias, entre outros elementos) têm uma influência determinante na avaliação de necessidades térmicas. O ano de construção é um indicador adicional que permite apurar as tecnologias mais provavelmente utilizadas.

• Equipamentos existentes: no caso de remodelações é fundamental a caracterização dos sistemas existentes quando o objectivo é a troca do equipamento, como por exemplo a caldeira. A avaliação e possível adequação do novo sistema deverão ser efetuadas por um profissional com experiência, com vista a garantir a total compatibilidade do sistema.

 

Exaustão

As instalações possuem requisitos que implicam diferentes formas de exaustão e/ou admissão de ar, de forma a garantir um funcionamento com os mais elevados índices de segurança.

Assim, a Vulcano disponibiliza uma vasta gama de Caldeiras Murais de exaustão natural, ventiladas ou estanques.

Exaustão Natural: A gama de caldeiras murais de exaustão natural da Vulcano responde às necessidades dos utilizadores para condições de exaustão ideais (instalação com um troço mínimo recomendado de 30 cm na vertical para evacuação dos gases provenientes da queima).

Exaustão Ventilada: As caldeiras murais ventiladas possuem um ventilador incorporado que força a saída dos gases de combustão, constituindo-se como a solução ideal para locais em que:

• Existam dúvidas sobre a eficácia dos aparelhos de exaustão natural;

• Não existam, pelo menos, 30 cm na vertical acima do aparelho para se proceder à ligação correta da conduta de exaustão;

• A tubagem de exaustão tenha mais que duas curvas, seja muito longa, não tenha a inclinação mínima ascendente necessária ou seja direcionada para a fachada do edifício.

Exaustão Estanque: As caldeiras murais estanques, são os aparelhos adequados para instalações em locais com condições de exaustão deficientes e/ou más condições de admissão de ar. Possuem uma câmara de combustão estanque, não necessitando de utilizar o ar interior da divisão onde o esquentador está instalado. Incorporam igualmente um ventilador que força a saída dos gases de combustão, sendo a admissão de ar novo feita a partir do exterior do edifício, através de condutas independentes (Ø 80/110 mm).

 

Condensação e condensados

O recurso a equipamentos com tecnologia de condensação melhora de forma determinante o rendimento da instalação e contribuiu de forma determinante para uma melhoria da classe energética da habitação.

A instalação de caldeiras com esta tecnologia requer apenas alguns cuidados para o correto escoamento dos condensados gerados. Os principais aspectos a ter em conta são:

1) Material usado nas condutas da chaminé: deverão ser usados os acessórios próprios para caldeiras de condensação, com vista a evitar problemas de corrosão, e para o correcto escoamento de condensados para o esgoto. A Vulcano disponibiliza uma ampla gama de acessórios de exaustão adequados ao correcto funcionamento da caldeira, contribuindo para um ciclo de vida útil do equipamento prolongado.

2) Ligação permanente do tubo de recolha de condensados para o esgoto

Para mais informações deverão ser consultados os manuais de instalação, com o detalhe destes e outros aspectos preponderantes na instalação.

 

A caldeira é um equipamento que produz água quente consoante as necessidades específicas de cada instalação e funcionalidade.

Existem diversas soluções de caldeiras que se adaptam a qualquer situação, quer de aquecimento de A.Q.S., quer de aquecimento central, oferecendo as melhores condições de conforto e economia.

A vasta gama Vulcano contempla caldeiras murais a gás e de chão a gás e a gasóleo, todas com possibilidade de se optar por diferentes princípios de funcionamento:

Caldeiras de aquecimento central e águas sanitárias instantâneas: designadas por: «...ZW...», no caso de caldeiras murais

Caldeiras de aquecimento central e águas sanitárias por acumulação: designadas por: «...ZS...», no caso de caldeiras murais

 

Condensação

A tecnologia de condensação permite aproveitar a energia que se encontra nos gases de combustão: na passagem do calor dos gases de combustão para a água do circuito, ocorre o arrefecimento destes gases até ao ponto de condensação do vapor de água contido nos mesmos.

Assim, é possível recuperar energia e utilizá-la na caldeira para aquecimento adicional.

Em caldeiras convencionais, o calor dos gases de combustão é libertado para a atmosfera. Esta tecnologia permite aumentar de maneira significativa o rendimento da instalação da caldeira e assim economizar energia.

 

Controladores

A otimização de consumos pode ser efetuada através dos diferentes tipos de reguladores, que gerem o sistema consoante as necessidades de aquecimento definidas pelo utilizador, conferindo uma grande versatilidade de utilização graças às inúmeras possibilidades de programação permitidas pelos diferentes tipos de aparelhos.

Relógio: Programação horária dos diferentes períodos de funcionamento do sistema;

Termóstatos ambiente: controlo do sistema através da temperatura ambiente (padrão);

Termóstatos Programáveis: Gerem o funcionamento do sistema, aliando à programação horária o controlo do sistema através da temperatura ambiente padrão.

 

Rendimentos

O rendimento do aparelho produtor de água quente sanitária e aquecimento contribui de forma significativa para a melhoria da eficiência energética da habitação.

O rendimento nominal típico de uma caldeira convencional actual é superior a 85%. Recorrendo à tecnologia de condensação, este poderá aumentar para valores superiores a 100% (relativamente ao PCI do gás).

Tendo em conta o reduzido custo de investimento, quando comparado com outras tecnologias, e o aumento de eficiência obtido, torna-se numa das medidas com maior retorno, com vista à melhoria da classe energética de uma habitação.

 

Condensação

A tecnologia de condensação permite o aproveitamento do calor residual existente nos gases de exaustão.

A tecnologia de condensação permite aproveitar a energia que se encontra nos gases de combustão: na passagem do calor dos gases de combustão para a água do circuito, ocorre o arrefecimento destes gases até ao ponto de condensação do vapor de água contido nos mesmos.

Assim, é possível recuperar energia e utilizá-la na caldeira para aquecimento adicional.

Em caldeiras convencionais, o calor dos gases de combustão é libertado para a atmosfera. Esta tecnologia permite aumentar de maneira significativa o rendimento da instalação da caldeira e assim economizar energia, contribuindo de forma determinante para uma melhor classificação energética.

 

Integração com Solar Térmico

A Vulcano disponibiliza uma gama de aparelhos com recurso a tecnologias como a condensação e o controlo termoestático, para garantir que primeiro se consome a energia gratuita proveniente do sol e só nos momentos de excepção se apoia com energias convencionais (neste caso o gás).

Os equipamentos Vulcano são os mais indicados para integração com sistemas de energias renováveis, servindo de recurso no momentos de consumo acima do previsto, ou na ausência de energia solar suficiente, permitindo aquecer a água apenas quando necessário e compensando apenas a temperatura em falta para o máximo conforto do utilizador.

 

Serviço Pós-Venda

808 275 325
(2ª a 6ª, 9h00-19h00)

Assistência aqui!

Contratos de Manutenção

A Vulcano apresenta-lhe a solução para o descanso total!

Conheça-os aqui